Raccoon anuncia novo posicionamento, reorganização na direção e sociedade e prevê crescer 60% levante ano – Revista Live Marketing

[ad_1]

Escritório passa a atuar no padrão full service porquê parceiro estratégico do cliente, ampliando escopo para soluções de lucidez de mercado e infraestrutura, porquê mídia programática, Apps e desenvolvimento de e-commerces em plataforma VTEX

Quando André Palis e Marco Túlio Kehdi saíram do Google para fundar a escritório Raccoon, em 2013, uma das primeiras atitudes da dupla foi buscar esteio de qualquer investidor de peso. Dentre os potenciais investidores abordados, eles conversaram com Manoel Lemos, sócio do fundo de investimento e capital risco, RedPoint Eventures, e com Gustavo Caetano, fundador da Sambatech.

Não conseguiram um único centavo, mas isso não foi exatamente uma má notícia: “Vocês não precisam de numerário, esse negócio vai dar evidente, o mercado precisa. Vocês precisam de direcionamento e alguns contatos”, concordaram Manoel e Gustavo na era, que toparam entrar para o juízo da empresa, onde permanecem até hoje. Eles estavam corretos.

A Raccoon foi fundada oficialmente em 2013, em São Carlos, cidade estratégica para atrair talentos oriundos das USP e Universidade Federalista de São Carlos. Seu foco era exclusivamente performance, o que significa, resumidamente, colher dados deixados pelos clientes na internet, botar lucidez em cima para players de diversos segmentos venderem cada vez mais. “Desembolsamos 5 milénio reais para montar nossa identidade visual, apresentação institucional e foi logo que começamos”, relembra André Palis, fundador e CEO da filial.

Já em 2021, números mais generosos comprovam que a empreitada deu notório. A Raccoon conta hoje com mais de 650 colaboradores, distribuídos em três prédios na cidade, e soma mais de 120 clientes na carteira, entre eles Natureza, Fast Shop, Leroy Merlin, MRV, Estácio, Vivara e 99. Em média, a empresa intermedia mais de 1 bilhão de reais só em anúncios no Google por ano, o que a coloca porquê uma das maiores da América Latina, acumulando premiações desses parceiros.

Agora, diante a uma novidade demanda de mercado, a dependência anuncia um novo posicionamento: passa atuar no padrão full service 360, oferecendo soluções para toda a ergástulo do dedo do cliente. Na prática, isso significa que, além das soluções de marketing do dedo – porquê SEO, Mídias e Inbound – a Raccoon passa a oferecer soluções de lucidez de mercado e infraestrutura, porquê consultoria, mídia programática, aplicativos e desenvolvimento de e-commerces em plataforma VTEX.

Segundo André, a transformação do dedo é uma veras, boa secção das grandes empresas já despertou, mas elas precisam de ajuda nesse processo. “Entendo que muitas empresas ainda compreendem transformação do dedo porquê digitalização, e não é isso. Transformação do dedo é transformação cultural viabilizando o uso da tecnologia para melhorar a experiência do consumidor e assim vender mais. Isso envolve inclusive ponto físico”, esclarece.

“Houve um boom do e-commerce, mas esse mercado ainda vai crescer muito. Logo, as empresas têm que proporcionar uma melhor experiência de consumo nesse e-commerce, extrair dados estratégicos sobre hábitos de consumo e colocá-los em prol do cliente, o que gera venda para o negócio. Aliás, tem a questão da integração entre online e offline. Na cabeça do cliente é tudo uma coisa só. Mas nas empresas, esses setores ainda enxergam on e off porquê coisas distintas. Exemplo: varejos de ponta ainda cobram preços diferentes no online e no offline. Qual o sentido disso na cabeça do cliente? Ele está com o celular na mão de frente com o vendedor, pesquisa o preço na mesma loja, e o vendedor não cobre. Não faz nenhum sentido. É esse tipo de gap a que vamos estancar”, conclui.

Reorganização na direção

Para dar corpo ao novo padrão de negócio, a Raccoon está ampliando também o seu time de diretores e gerentes, valorizando pratas da mansão: ninguém veio de fora, todos os novos diretores já eram colaboradores da empresa. Vale ressaltar que todos os novos diretores e gerentes também se tornam sócios da Raccoon.

A novidade gestão conta com André Palis (CEO), Túlio Kehdi (Chief Staff Officer), Leonardo Araújo (VP de Operações), Lucas Palhares Ferreira  (Diretor de Negócios e CMO),  Carlos Pereira Lopes (CTO), Felipe Roble (Diretor de Inbound Marketing e Inovação), Diego Bertolini (Diretor de Administrativo, Financeiro e RH), Michelle Massaro (Diretora de Operações de Mídia e Marketing) e Vitor De Angeli Camargo (Diretor de Operações de Mídia e Marketing). Aliás, Ramon Tranches e Maria Luiza Castro, ambos Gerentes de Operações de Mídia e Marketing, também assumem porquê sócios da empresa.

“Me orgulho de encontrar dentro da nossa própria empresa pessoas absolutamente preparadas para o duelo que vamos encarar. Muitos desses profissionais foram literalmente formados in house, o que nos mostra que essa decisão foi acertada”, diz Palis.

Perspectiva de desenvolvimento

A Raccoon registra um prolongamento consistente ao longo dos seus sete anos. Em média, a empresa cresce 50% ao ano. “Quando você tem 10 clientes e sobe para 15, 50% significa uma coisa. Quando você tem 100 e sobe para 150, significa outra. São 50 mais, não 5. E quando tudo isso se mantém no médio e longo prazo, significa que estamos oferecendo alguma coisa que realmente está agregando. Havia um gap lá detrás, as coisas foram mudando, mas ainda há gaps que a Raccoon segue capaz de preencher. A transformação do dedo continua”, avalia Palis.

Agora, em 2021, a empresa pretende crescer um pouco mais. “Nossa estimativa é crescer 60%. Esse ano ainda tende a ser multíplice, a pandemia está aí, não se sabe ao perceptível porquê as coisas vão permanecer. Mas, de vestimenta, o mercado está mais lhano e nós estamos bastante estruturados para atuar em toda a cárcere. Ficamos felizes em manifestar que a Raccoon pode fazer secção da solução, pode ajudar negócios a se reinventarem e se posicionarem de maneira mais efetiva nesse cenário”, completa Palis.


[ad_2]
Fonte